sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Abaixo O Machismo, por favor

Depois de dois anos sem escrever estou voltando mais indignada do que o normal.
Nesta postagem de volta gostaria de fazer uma apresentação sobre um dos assuntos que pretendo discutir. É uma mini introdução, mas com o objetivo de despertar o leitor para essa tema tão importante.

O inicio do ano foi marcado pelo resultado absurdo da pesquisa realizada pelo Ipea(instituto de pesquisa econômica e aplicada) onde 58,5% da população achava que a mulher merecia ser estuprada. Depois de  uns dias de manifestações nas redes sociais a pesquisa foi corrigida, mas com um resultado ainda alto para o século 21 e um país tão avançado como o Brasil.
Temas sobre como a mulher deveria se vestir foi bastante discutido em diversos setores da sociedade, até que o assunto foi meio que esquecido para imprensa. Mas para mim não foi.
#NenhumaMulherMereceSerEstuprada!
#RoupaNãoDizNada

E mesmo depois de todo esse rebuliço ainda encontramos pessoas com posicionamentos tão atrasados sobre a liberdade das mulheres!
Parece até que as políticas do nosso país não é para o bem estar social e sim para dizer o limite de homens que eu devo ficar em uma noite, o tamanho do meu short, da minha saia... E me lembrar todos os dias dessa frase nojenta: "Mulher tem que ser santa na rua e puta na cama".  A mulher tem o direito de ser o que ela quiser onde ela achar melhor.

#AbaixoOMachismo
#PorMaisMulheresNaLutaPorNossosDireitos!

Por mais quanto tempo ainda teremos que ouvir esse tipo de coisa? Quantas mulheres ainda serão violentadas sexualmente? Quantas menininhas ainda terão que ouvir dos seus pais que lugar de mulher é na cozinha?


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

De volta à repressão, ou melhor, a ditadura pode voltar aqui em Alagoas!!!!




“Não vivemos numa ditadura para tentarem nos calar e mesmo que estivéssemos não nos calariam  diante dos acontecimentos violentes que vem acontecendo. Somos estudantes e lutamos por um presente e um futuro melhor.” Daiane Correia


De volta à repressão, ou melhor, a ditadura pode voltar aqui em Alagoas!!!!

Você pode não entender, mas ao longo do texto irá compreender o que se passa com a educação, educadores (uma porcentagem), e o descaso que os alunos alagoanos vêm sofrendo.

Além de não termos mais segurança nem dentro dos ônibus e dentro das nossas  casas, não temos nem dentro das escolas. Isso não é novo, mas devido aos acontecimentos deveriam reforçar a segurança principalmente nas escolas, mas aqui a situação é diferente: É bem mais interessante fechar escolas e vê centenas de alunos fora das salas de aula e se envolvendo no mundo do tráfico, ao invés de colocar segurança dentro delas.

Nesses últimos dias houve assaltos a mão armada dentro nas escolas do CEPA.

Os alunos assustados organizaram uma manifestação em pedido de paz.  Até aí tudo bem!

O que é de indignar é o fato de alguns funcionários da educação tentar maquiar a situação, mostrar para o povo e para os governantes que estar tudo muito bem, muito lindo e maravilhoso.  E o pior: Tentar convencer aos alunos que foram assaltados de que não tinha armas e que isso foi culpa dos próprios estudantes que ficam roubando uns aos outros. É jogar todo mundo na vala comum (traduzindo [os alunos foram chamados de ladrões]). Tentar calar os estudantes é absurdo!!

Ah...é bom lembrar aos funcionários das escolas que existe lei que regulamenta os grêmios estudantis aqui no Brasil.

Para os que não sabem, o Grêmio estudantil é uma entidade que representa os estudantes dentro e fora das salas de aula. É uma organização sem fins lucrativos que, além dos estudantes lutarem por melhorias nas escolas, é também um importante espaço de aprendizagem, cidadania, convivência, responsabilidade e de luta por direitos.

A lei que regulamenta a existência da entidade: A Lei Nº 7.398, de novembro de 1985

Dispõe sobre a organização de entidades estudantis de 1º e 2º graus e assegura aos estudantes o direito de se organizar em Grêmios:

PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Art. 1º – Aos estudantes dos estabelecimentos de ensino de 1º e 2º graus fica assegurada a organização de Grêmios Estudantis como entidades autônomas representativas dos interesses dos estudantes secundaristas, com finalidades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais. § 1º – (Vetado.) § 2º – A organização, o funcionamento e as atividades dos Grêmios serão estabelecidas nos seus Estatutos, aprovados em Assembleia Geral do corpo discente de cada estabelecimento de ensino, convocada para este fim. § 3º – A aprovação dos Estatutos e a escolha dos dirigentes e dos representantes do Grêmio Estudantil serão realizadas pelo voto direto e secreto de cada estudante, observando-se, no que couber, as normas da legislação eleitoral. Art. 2º – Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º – Revogam-se as disposições em contrário.
Brasília, em 4 de novembro de 1985. 164º da Independência e 97º da República.



Ou seja, não há motivos para os diretores, coordenadores e professores das escolas  proibirem os estudantes de construírem seus grêmios e nem há razões para esses funcionários se adiantarem nos assuntos dessas entidades.

 

 

 

Por: Daiane Correia




quarta-feira, 18 de julho de 2012

Política: a ferramenta para mudar

Todos os dias acorda e vou logo para frente do PC, para vê o que está acontecendo no mundo, em especial no meu país e claro ir para o facebook . Mas algo chamou minha atenção: Em pleno século XXI, ainda existe pessoas que não gostam de política. Algo tão importante e nem dá uma pequena contribuição na urna no dia de VOTAR!!!!

Acho que essas pessoas devem ter esquecido o quanto é importante votar.
Olha, sou denfensora de uma maior participação da mulher e da juventude na política, mas antes de tudo: EU NÃO SÓ DEFENDO AS CARAS NOVAS, até porque do que adianta ter um rostinho novo, bonitinho e defender uma política atrasada, neoliberal, uma política só para burguesia e esquecer do povo, dos trabalhadores. Precisamos de mais pessoas com ideias progressistas, comprometidas com o povo. Chega de ter uma Alagoas liderando os piores índices de educação, saúde, segurança!!
É só com a política para mudar essa situação.

Vamos eleger pessoas com a cara do povo alagoano. Sei que as eleições esse ano são municipais e por isso acredito que elegermos pessoas comprometidas em trabalhar por nossas cidades, mesmo com um governo estadual péssimo, podemos mudar pelo menos um pouquinho a nossa situação que, desde 2007 as cidades alagoana vem pedindo socorro pelo descaso que o governo estadual vem fazendo com elas.
ACORDA ALAGOAS!!!!
A juventude alagoana merece educação pública e de qualidade. Toda população do nosso estado merece saúde e segurança pública e de qualidade. Precisamos de empregos dignos e com salários justos para os trabalhadores e suas famílias sobreviverem.
Vamos mudar essa situação.
Vamos lutar, vamos participar
Vamos VOTAR!!!




By: Daiane Correia

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Exigências atuais para atuação de qualidade dos professores


Vivenciamos nos últimos anos a construção de um novo Brasil. A evolução da sociedade tem a acelerado muito, grande são as exigências em tão pouco tempo e sabemos: para que esse avanço seja positivo devemos ter educação de qualidade. A educação de qualidade, não é só o professor em sala de aula falando, passando provas, copiando dos livros. Claro que isso é muito importante, mas vivemos em um país que isso se torna pouco com as exigências que vem se fazendo para sociedade. E é por isso que antes de tudo devem-se trabalhar nossos professores, dando-lhes maior assistência, mas o que seria essa maior assistência? Acreditamos que muitos ainda se perguntam, pois há tempos vários sindicatos de professores e alunos vêm se mobilizando em busca disso e nada é feito. Assistência que se fala é cursos de formação continuada, pois a construção do conhecimento é algo que vai se formando cotidianamente e professor é uma profissão tem que ter essa construção de conhecimento todos os dias, não desmerecendo as outras profissões, mas é que é através do professor que surge às outras profissões.   
Além de professores bem especializados, devemos ter ambientes de estudos adequados: salas de aulas confortáveis, laboratórios de informática, matemática, física, biologia, salas de leitura, de debates. Ou seja, um ambiente em que o aluno possa aprender vivenciando.
A partir do momento que temos uma educação de qualidade, que atenda as expectativas corpo discente, caminhamos para uma sociedade de qualidade de vida, desenvolvida economicamente e ideologicamente. Como isso é possível? Sabemos que a educação é à base de tudo. Quando estudamos a probabilidade de querermos melhorar é bem maior do que a do não querer. Estudando, formando-se e trabalhando estamos contribuindo para o desenvolvimento tanto pessoal, quanto social. É menor a quantidade de pessoas nas ruas, menor a quantidade de crianças que deixam de estudar para trabalharem para sobreviverem.




Este é o nosso desafio. Contribuir para aprendizado social, para um desenvolvimento melhor e qualificado, pois o professor é fonte de inspiração para muitas pessoas. 



De: Daiane Correia



sábado, 28 de abril de 2012

Parlamentares já fizeram 167 requerimentos à CPMI do Cachoeira




Dois dias depois de ser oficialmente instalada, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira já acumula 167 requerimentos apresentados pelos senadores e deputados integrantes do colegiado. São pedidos de documentos sigilosos, convocações de depoentes e solicitações de quebra de sigilos bancários e fiscais.


Além de Carlinhos Cachoeira e do senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), os parlamentares querem ouvir o sócio majoritário da Delta Construções, Fernando Cavendish; o engenheiro Cláudio Abreu, ex-diretor regional da Delta; o contador Geovani Pereira da Silva, apontado como tesoureiro do esquema de Cachoeira; os governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT); o procurador-geral da República, Roberto Gurgel; e até o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

São muitos também os pedidos de quebra de sigilos bancários e fiscais. Estão no alvo dos parlamentares, além de nomes indicados pela Polícia Federal (PF) com algum tipo de ligação com Cachoeira, a Delta Construções e a Alberto & Pantoja Construções e Transportes Ltda, considerada pela polícia uma empresa de fachada, criada exclusivamente para receber dinheiro “sujo” da Delta.

Até agora, a CPMI aprovou apenas um requerimento, em sua primeira reunião, na terça-feira (24), com pedido de informações ao Supremo Tribunal Federal (STF), à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à PF sobre as operações Vegas e Monte Carlo. O STF decidiu, nesta sexta-feira (27), compartilhar os dados do inquérito com a CPMI.

Plano de trabalho

A comissão tem reunião marcada às 14h30 da próxima quarta-feira (2), após o feriado, quando o relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), deve apresentar aos colegas um plano de trabalho para as próximas semanas.

O planejamento pode não agradar a todos, visto que os integrantes da comissão divergem sobre o melhor momento para iniciar as oitivas dos acusados. Os parlamentares pretendem também eleger o vice-presidente do colegiado.
Fonte: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=181930&id_secao=1

..

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Caravana da UNE Brasil+10 homenageia Honestino Guimarães




No último 28 de março de 2012, data em que nasceu Honestino Guimarães, ex-presidente da UNE desaparecido politico da ditadura militar, os estudantes brasileiros prestaram grandiosa homenagem a este herói: deram a largada a uma ousada iniciativa de circulação que vai atingir todo o território nacional.

 

A Caravana UNE Brasil+10 começou na capital federal e vai levar aos estudantes brasileiros de todas as regiões uma reflexão objetiva sobre o país que a juventude quer e sonha para os próximos 10 anos, quando celebraremos o bicentenário da nossa independência.

Neste vídeo, você poderá conferir um pouco do que aconteceu em Brasília. Lá no Planalto Central, a Caravana passou pela Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Católica (UCB).

Teve também show de Mestre Zé do Pife e as Juvelinas, cortejo com a companhia Mamelungo sem Fronteiras, além de um Aulão Brasil+10 com representantes dos movimentos sociais e debate com o presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do ProUni, professor Valnor Bolan. O Circuito Universitário de Cultura e Arte, o Cuca da UNE, também esteve presente exibindo filmes e realizando um encontro com o tema “Cultura em rede – Conexões culturais no Brasil”.

Fonte: UNE

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=179977&id_secao=1http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=179977&id_secao=1

sexta-feira, 23 de março de 2012

Chico Anysio morre aos 80 anos


Morreu nesta sexta-feira (23), aos 80 anos, o humorista Chico Anysio. Ele estava internado no Hospital Samaritano, na Zona Sul do Rio, havia três meses. Ao longo de seus 65 anos de carreira, Chico Anysio criou mais de 200 personagens e foi um dos maiores humoristas do Brasil com destaque no rádio, na TV, no cinema e no teatro.


Chico Anysio em sua residência, em São Paulo, em junho de 2009 / Foto: Leonardo Wen/Folhapress

Conhecido por seus inúmeros personagens, Chico Anysio provavelmente tem uma referência distinta para cada pessoa. Para muitos, ele é Alberto Roberto, do Zorra Total, para outros, o professor Raymundo, da Escolinha do Professor Raimundo. Há ainda quem escute falar de Chico e lembre do vampiresco Bento Carneiro, que também foi quadro do humorístico semanal. Fora os que curtiram suas versões comentarista esportivo, compositor e diretor, algumas das muitas facetas da célebre personalidade da qual o Brasil agora se despede.

Anysio apresentou uma piora nas funções respiratórias e renal na quarta-feira (21) e voltou a respirar com ajuda de aparelhos durante todo o dia. Ele estava no CTI do hospital carioca desde 22 de dezembro do ano passado por conta de um sangramento. O comediante chegou a ter o problema controlado, mas apresentou uma infecção pulmonar e retornou à internação. Ele seguia em sessões de fisioterapia respiratória e motora diariamente, somadas a antibióticos.

O ator também já foi submetido a uma laparotomia exploradora, procedimento cirúrgico que serve para revelar um diagnóstico. Essa cirurgia fez com que Chico Anysio tivesse um segmento de seu intestino delgado retirado.

No final de 2010, ele foi levado ao mesmo hospital com falta de ar. Após uma obstrução da artéria coronariana ser encontrada, passou por uma angioplastia, procedimento para desobstrução de artérias. Após 110 dias, teve alta em março do ano passado.

Com fortes dores nas costas, o humorista foi novamente internado em novembro. Ficou no hospital durante cinco dias, para receber medicação intravenosa devido a problema antigo nas vértebras que provocava dor. No fim de novembro, teve febre e os médicos descobriram uma contaminação por fungos, tratada com antibióticos. No começo de dezembro, retornou ao hospital com infecção urinária e ficou internado por 22 dias. Um dia depois, voltou ao Hospital Samaritano.

Nos momentos mais críticos, quando esteve no hospital entre dezembro de 2010 e março de 2011, Chico necessitou da ajuda de aparelhos para respirar e se comunicava com médicos e familiares por meio de mímica. Durante o período pós-operatório, houve o diagnóstico de um tamponamento cardíaco, que acontece quando o sangue se acumula entre as membranas que envolvem o coração (pericárdio).

Durante o período de internação, que alternou momentos no CTI e em unidades intermediárias, Chico Anysio apresentou quadros de pneumonia e passou por sucessivas broncoscopias. As infecções foram tratadas com uso de antibióticos.

Antes, em agosto de 2010, o humorista precisou ser internado para a retirada de parte do intestino grosso após ser constatado um quadro de hemorragia no aparelho digestivo. Em maio de 2009, outra pneumonia o levou ao hospital.

Trajetória

Chico Anysio de Oliveira Paula Filho nasceu no Ceará em 12 de abril de 1931, no município de Maranguape, Região Metropolitana de Fortaleza. Aos seis anos, mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, cidade onde mais tarde aflorariam todos os seus múltiplos talentos.

No fim da década de 40, o jovem Chico decidiu fazer um teste para locutor de rádio. Saiu-se excepcionalmente bem no teste, mas ficou em segundo lugar, atrás somente de outro jovem iniciante, Sílvio Santos. Iniciou então sua carreira na Rádio Guanabara, onde exercia várias funções, entre elas radioator e comentarista de futebol. Nas chanchadas da década de 50, Chico passou a escrever diálogos e, eventualmente, atuava como ator em filmes da Atlântida Cinematográfica.

Foi nessa época que os seus tipos cômicos começaram a surgir. Até o “talento para imitar vozes”, como o proprio Chico descreveria em seu site, evoluir para a televisão. A estreia aconteceu em 1957, na extinta TV Rio, no programa “Aí vem dona Isaura”.

Foi lá que o Professor Raimundo teve sua primeira aparição no vídeo, como o tio da protagonista que vinha do Nordeste — até então o programa só havia sido veiculado pelo rádio.
“Até tinha uma coisa de sentar para criar, mas uns nasceram pela voz, outros pelo tipo, pela personalidade, pela caracterização. Sempre fiz questão de que eles fossem encontrados sem que eu estivesse presente. Que alguém dissesse: "'Na minha terra, tem um Pantaleão. No Rio tem muito Azambuja’”, explicou o humorista ao “Estado de S. Paulo”, em 2009.

Chico Anysio trabalhou ao lado - atuando e dirigindo - de grandes nomes do humor brasileiro no rádio ou na televisão, como Paulo Gracindo, Grande Otelo, Costinha, Walter D'Ávila, Jô Soares, Renato Corte Real, Agildo Ribeiro, Ivon Curi, entre muitos outros.

Desde 1968, Chico estava ligado à Rede Globo. Mas, a princípio, num tempo em que ainda não existiam contratos de exclusividade, Chico pôde fazer participações especiais em programas de outras emissoras e em chanchadas da Atlântida.

O “Chico Anysio Show”, seu primeiro programa de humor, foi lançado no início da década de 60. Foi ao ar pela TV Rio, depois pela Excelsior e em 1982 voltou a ser exibido pela Rede Globo — onde o humorista já trabalhava desde 1969.

Entre suas principais atrações, destaque para “Chico city” (1973-1980), “Chico total” (1981 e 1996) e “Chico Anysio show” (1982-1990). Alguns desses personagens quase que se misturam à história da televisão brasileira, como o ator canastrão Alberto Roberto, o pão-duro Gastão Franco, o coronel Pantaleão, o pai-de-santo Véio Zuza, o velhinho ranzinza Popó, o alcoólatra Tavares e sua mulher Biscoito (Zezé Macedo) e o revoltado Jovem.

Com o passar dos anos, novos tipos eram criados e incorporados ao programa: o funcionário da TV Globo Bozó, que tentava impressionar as mulheres por conta de sua condição; o mulherengo e bonachão Nazareno, sempre de olho nas serviçais; o político corrupto Justo Veríssimo; e o pai de santo baiano e preguiçoso Painho são alguns dos mais populares.

Apresentada como quadro em outros programas desde a década de 1980, a “Escolinha do Professor Raimundo” tornou-se uma atração independente em 1990. No ar até 2002, o humorístico lançou toda uma geração de comediantes. Entre os “alunos” revelados pelo “professor Chico” estão Claudia Rodrigues, Tom Cavalcante e Claudia Gimenez.

Chico também atuou em novelas e especiais da Globo, como “Pé na jaca” (2007), “Sinhá Moça” (2006), “Guerra e paz” (2008) e “A diarista” (2004). Chico Anysio teve ainda um quadro fixo no Fantástico por 17 anos (de 1974 a 1991), e supervisionou a criação no programa “Os Trapalhões” no início dos anos 90.

Cinema

A incursão mais recente de Chico Anysio no cinema foi como dublador. É dele a voz do protagonista da animação “Up - Altas aventuras", animação do estúdio Pixar. Antes disso, o humorista fez uma participação especial no recordista de bilheteria “Se eu fosse você 2” (2008), de Daniel Filho.

Em 1996, o humorista interpretou o personagem Zé Esteves, pai da personagem-título, em “Tieta”, de Cacá Diegues. O trabalho coincidiu com o aniversário de 25 anos da estreia de Chicono cinema, na pornochanchada "O doce esporte do sexo". Antes havia participado de comédias como "Mulheres à vista" e "Cacareco vem aí".

Em 2011, em sua última aparição pública, recebeu o prêmio especial do Júri do Festival do Rio pelo seu desempenho no longa “A hora e a vez de Augusto Matraga”, do diretor Vinícius Coimbra.

"O filme é importantíssimo, a obra é linda. Vinícius realizou algo quase inacreditável. É um filme que, tenho certeza, Sergio Leone assinaria com alegria", destacou o bem humorado Chico, que fez questão de receber o Troféu Redentor pessoalmente, mesmo de cadeira de rodas.

Literatura e artes plásticas

Além de se dedicar ao humor, Chico também foi artista plástico. Apaixonado pela pintura, retratou paisagens ao redor do mundo a partir de fotografias que tirava dos países que visitava. Realizou exposições de seus quadros em diversas galerias do Brasil e chegou a afirmar que gostaria de ter dedicado mais tempo à atividade.

“Porque teria tido mais tempo para aprender, para melhorar. Teria mais tempo para me tornar conhecido e aceito, para vender meus quadros por um preço melhor. Cheguei a admitir que a pintura seria meu emprego da velhice, mas não vai ser, porque ninguém está comprando nada de obra de arte, e pintar para guardar é terrível”, disse em entrevista à “Folha de S. Paulo”, em 2007. Foi autor de 21 livros, tendo publicado alguns livros de grande apelo popular na década de 70, como "O Batizado da vaca", "O telefone amarelo" e "O enterro do anão". Sua última publicação foi “O canalha”, lançada em 2000.

“É a história do cara que participou de todos os governos, desde Eurico Gaspar Dutra até o primeiro mandato de Fernando Henrique. Foi ele o responsável por todas as canalhices que ocorreram de lá para cá, como dar um revólver de presente a Getúlio Vargas”, explicaria o escritor Chico Anysio em entrevista à revista “Época”, no mesmo ano.

Outra de suas obras é o bem humorado manual “Como segurar seu casamento”, também de 2000. Na época, advertiu os leitores: “Não dou conselhos, transmito os erros que cometi e foram cometidos em cinco casamentos. Conviver é a arte de conceder. Essa troca de concessões gera a convivência harmônica”, comentou.

Vida pessoal

O primeiro de seus casamentos foi aos 22 anos, com a atriz Nancy Wanderley. Depois foi a vez de Rose Rondelli. Sobre a união com a cantora e ex-frenética Regina Chaves, dizia mal se lembrar. Já com Alcione Mazzeo, rompeu a relação por conta de um ensaio nu. Mas foi seu matrimônio com a ex-ministra da Economia do governo Collor, Zélia Cardoso de Mello — com quem teve dois filhos — que provocou mais polêmica. "Passou a ser uma pessoa de meu desagrado total. Fui um biombo para ela”, disse Chico à revista “Isto É”, em outubro de 2000.

Antes, porém, teve seis filhos, entre eles os atores Lug de Paula (famoso por interpretar o Seu Boneco, da “Escolinha do Professor Raimundo”), Nizo Neto (o Seu Ptolomeu, do mesmo programa, também dublador) Bruno Mazzeo (ator e roteirista). Chico também era tio do ator Marcos Palmeira, filho do cineasta Zelito Vianna, irmão do humorista; e da atriz Maria Maya, filha de Cininha de Paula, sobrinha do humorista.

Em novembro de 2009 foi agraciado com a Ordem do Mérito Cultural, a mais alta comenda do governo brasileiro na área. Da vida, dizia levar apenas um arrependimento: “Me arrependo enormemente de ter fumado durante 40 anos.”

Confira ele em um de seus personagens, Salomé, que falava com o presidente do Brasil, o general João Baptista Figueiredo:




Com agências